Notícias

11/06/2017 17:45

Recuperação das cabeceiras é fundamental para o abastecimento de água nas cidades

Somente na região das Cabeceiras do Pantanal nasce 30% da água responsável pelo abastecimento de mais de três milhões de pessoas.

Até chegar às torneiras de uma casa, a água percorre um longo trajeto, que tem início nas nascentes dos rios. Somente na região das Cabeceiras do Pantanal nasce 30% da água responsável pelo abastecimento de mais de três milhões de pessoas. Embora primordial para a existência de vida, muitas nascentes ainda estão em alto risco. Com a proposta de recuperá-las e garantir o abastecimento de 25 cidades mato-grossenses, o Pacto em Defesa das Cabeceiras do Pantanal atua desde 2015 com apoio do WWF-Brasil, Governo do Estado de Mato Grosso e mais 45 entidades parceiras.

O desmatamento, a falta de saneamento básico e as más práticas agropecuárias são as grandes ameaças aos rios e nascentes das cabeceiras. Por isso, o Pacto atua hoje na recuperação de nascentes, na execução de ações em prol dos rios Jauru, Cabaçal, Sepotuba e Paraguai e abrange 25 municípios do Mato Grosso. São eles: Alto Paraguai, Araputanga, Arenápolis, Barra do Bugres, Cáceres, Curvelândia, Denise, Diamantino, Figueirópolis D´Oeste, Glória D´Oeste, Indiavaí, Jauru, Lambari D’Oeste, Mirassol D’Oeste, Nortelândia, Nova Marilândia, Nova Olímpia, Porto Esperidião, Porto Estrela, Reserva do Cabaçal, Rio Branco, Santo Afonso, São José dos Quatro Marcos, Salto do Céu e Tangará da Serra.

Para o coordenador do Programa Cerrado Pantanal do WWF-Brasil, Júlio César Sampaio, a atuação das organizações públicas e privadas para a preservação das nascentes dos rios é primordial para o abastecimento das cidades. “Juntos temos mais forças para lutar pela preservação dos rios e nascentes do Pantanal. Mas, é importante destacar que cada um precisa fazer a sua parte. E isso inclui não desperdiçar a água que recebemos em casa”.

Responsável pelo fornecimento de água mineral em todos os municípios de Mato Grosso, e em outros Estados, a Lebrinha também faz parte do Pacto em Defesa das Cabeceiras do Pantanal. De acordo com a diretora da empresa, Flávia Almeida, a participação no pacto significa assumir uma responsabilidade com o meio ambiente. “Água é fonte de vida e nenhum de nós é capaz de viver sem ela. Por isso, preservar o que ainda temos, desde as nascentes, bem como repensar as ações do dia a dia, tem impacto direto no nosso futuro e também das gerações que virão”, destaca.  

 

om como a adequação ambiental e a recuperação de áreas degradadas.


Cadastre-se e receba nossas novidades

Eu curto o Pacto

Prefeitura Municipal de: Alto Paraguai, Araputanga, Arenápolis, Barra do Bugres, Cáceres, Curvelândia, Denise, Diamantino, Figueirópolis D´Oeste, Glória D´Oeste, Indiavaí, Jauru, Lambari D’Oeste, Mirassol D’Oeste, Nortelândia, Nova Marilândia, Nova Olímpia, Porto Esperidião, Porto Estrela, Reserva do Cabaçal, Rio Branco, Santo Afonso, São José dos Quatro Marcos, Salto do Céu e Tangará da Serra.

versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo